Liturgia

"Minha Casa é Casa de oração"

Isso é o Mosteiro. Um tabernáculo no deserto, onde a nuvem luminosa da presença de Deus desce de uma maneira quase visível. Lugar de experiência de Deus.

Na Liturgia, celebramos toda a Historia da Salvação. Celebração que é memorial, isto é, atualização real.

Cristo, ao descer à terra, trouxe para este exílio o cântico que se canta na Jerusalém Celeste. Monges e monjas procuram manter vivo este canto na vida de cada dia - esta belíssima tradição que vivemos.

Um elemento importante em nossa vida é a oração cantada. Existe um louvor no próprio gesto de cantar. O texto cantado sempre fala em primeiro lugar para a emoção - segredo da oração; uma emoção equilibrada e séria. O canto nos ajuda a não ser só cabeça, mas também coração.

Há momentos fortíssimos em nossa Liturgia, como na vida de Cristo e na vida de todos aqueles que atuaram na Historia da Salvação, na Antiga e na Nova Aliança. Viver no Mosteiro é experimentar tudo isso intensamente; mas este ideal sublime é vivido em vasos de barro. E a gente se esquece muitas vezes, não toma consciência do que faz Deus em nós.

Há os dias mais importantes do Ano Litúrgico:

Os Mistérios de Cristo - A Páscoa é o cume
e o Mistério da Encarnação - o Natal.

Além de Pentecostes e as outras festas, temos o mistério na vida de Maria e dos Santos. Tudo isso é celebrado na Eucaristia de cada dia. É o Pão Vivo que desce do céu para nos dar vida nova.

O horário do Mosteiro gira em torno desta celebração central, com o canto da Liturgia das Horas Monásticas.

As VIGÍLIAS são rezadas ainda no escuro. É uma oração mais meditativa, com leituras da Sagrada Escritura, dos Padres da Igreja, outros santos ou autores eclesiásticos.

As LAUDES ao romper da aurora a Ressurreição do Cristo.
A Hora de TERÇA lembra a descida do Espírito Santo.
A Hora de SEXTA na cruz Jesus exclamou: Tenho sede
A Hora de NOA sua morte
As VÉSPERAS, celebradas ao cair da tarde, louvam o Senhor pelo dia que finda.
As COMPLETAS - Última oração coral do dia, é encerrada com um canto a Maria Santíssima.

Nestas Horas cantamos os salmos que são para nós o Pão deserto. Eles vão penetrando pouco a pouco em nós e nos alimentam na caminhada. Todo ambiente do Mosteiro nos leva à oração; guardamos o silêncio, em geral, para estarmos atentas ao Espírito que fala em nós. Temos a lectio divina (leitura orante da Palavra de Deus). A oração silenciosa já na lectio divina e depois é o diálogo constante com Deus. "Sempre é útil e necessário que haja pessoas pobres e fortes - com grande capacidade de pressentir na noite a proximidade da aurora, porque vivem abertos à comunicação da Luz - que transmitam aos seus irmãos a certeza da presença do Senhor e da Sua vinda." é muito viva no Mosteiro a oração de intercessão.